20/07/08

Entrevista à Ritinha

Nome: Ana Rita da Silva Coelho (Ritinha)

Data de Nascimento:
12/01/1994

Peso? Altura?
55 Kg. 1,72 m.

Há quanto tempo jogas Basquetebol?
Jogo há 8 anos.

Clube de coração:
SIMECQ

Passatempos preferidos:
Jogar basket, sair com os amigos e pc.

Último livro que leste:
A lua de Joana

Tipo de música preferida:
Oiço de tudo.

Filme favorito:
Coach Carter

Prato favorito:
Esparguete com camarão.

Lema de vida:
Nunca dizer "nunca" como jogadora de basket

Melhores qualidades:
Quando meto uma coisa na cabeça levo sempre até ao fim... principalmente no jogo de basket.

Piores defeitos:
Sou muito preguiçosa...

Pessoas que te marcaram de forma positiva na tua carreira de atleta: Fernando Brás, Paula Meneses, Rui Marote, Mariana Koustorkova (peço desculpa se não se escreve assim), Ana Coelho(Pingas), Luis Coelho, Bruno Ramos, Hugo Esteves, Guimarães e claro... a minha equipa.

Tens alguma referência no Basket, que tentas seguir? Um ídolo?
Katie Smith

Porquê?
Tem muita garra dentro de campo.

Quais as tuas metas como jogadora de Basquetebol?
Chegar à Liga Espanhola.

Daqui a quanto tempo achas que conseguirás?
Ui! Isso é muito difícil... Nós nunca sabemos o futuro nem o presente... Pode ser hoje, como pode ser amanhã ou daqui a alguns anos.

O que fazes para as alcançar?
Muito trabalho e dedicaçao no meu clube e fora dele.

Quanto tempo dedicas ao Basquetebol?
Muito treino todos os dias... duas horas pelo menos por dia.

Qual foi a tua maior alegria na tua carreira?
Ser convidada para o CAR e ter sido bicampeã de Iniciadas pela SIMECQ.

E a maior tristeza?
Este ano nao ter passado a fase nacional de cadetes femininos.

Como conseguiste chegar ao CAR?
Treinando... Esforçando-me nos jogos, nas selecções distritais tentar dar sempre o meu melhor.

O que achas que vai ser mais difícil enquanto atleta do CAR?
A separação da equipa e os primeiros treinos.

Qual o objecto que não vais deixar de levar na mala?
Foto da equipa e o cachecol da SIMECQ.

E no coração o que levas?
Recordações que passei com a equipa.

O que aconselhas aos atletas que estão a ler a tua entrevista?
Para nunca baixarem os braços... e terem sempre confiança neles próprios.

Muito boa sorte Pinguinhas, espero que dês o teu máximo e que mostres a garra Simequinha.
Sê sempre trabalhadora, esforçada e acredita no teu valor. O talento já o tens, agora é deitá-lo cá para fora. Quanto à preguiça, não vais poder levá-la na mala... Bom trabalho a todos os níveis e cá te esperamos aos fins-de-semana.

03/07/08

Afundanços para descontrair

video

O "Colaborador de Arbitragem"

REGULAMENTO DE CONSTITUIÇÃO DA FIGURA
DE “COLABORADOR DE ARBITRAGEM”

1. A A.B.L., por proposta sua, aprovada pela E.N.B., através do seu Conselho Nacional de Formação de Juízes, assim como pelo C.A. da F.P.B., institui a figura de “Colaborador de Arbitragem”, nas vertentes de Árbitro e de Oficial de Mesa.
2. Tais Colaboradores destinam-se a acompanhar os Juízes Oficiais em jogos das provas organizadas pela A.B.L., nos escalões de Iniciados (MeF), Cadetes (MeF).
3. Os candidatos ao exercício desta função serão indicados pelos clubes aderentes a este projecto, em período a estabelecer para cada época desportiva (pré-época).
4. Os mesmos serão sujeitos a uma formação inicial, que respeitará integralmente os aspectos programáticos e regulamentares da Fase de Formação Inicial dos Cursos de Árbitros e Oficiais de Mesa Estagiários e Jovens Estagiários, promovidos pela E.N.B. da F.P.B..
5. Os Colaboradores considerados aptos e como tal documentados na referida formação serão creditados como “Auxiliares de Arbitragem”, através da emissão, pela A.B.L., de um cartão de identificação.
6. Serão nomeados pelo C.A.D. da A.B.L. para os jogos em que os clubes que os indicaram actuem como visitados ou como tal considerados.
7. Actuarão sempre acompanhados de Juízes Oficiais, que terão conhecimento prévio desse facto e do nome do (s) respectivo (s) Colaborador (es).
8. Os jogos relativos às categorias referidas em 2. serão, normalmente, dirigidos por um Árbitro Oficial, auxiliado por um “Colaborador de Arbitragem” - árbitro. As funções relativas aos Oficiais de Mesa serão da responsabilidade de um Oficial de Mesa, auxiliado por um ou dois (consoante o escalão) “Colaboradores de Arbitragem”- oficiais de mesa ou, na falta daquele, por dois/três “Colaboradores de Arbitragem” – oficiais de mesa (conforme o escalão).
9. Os “Colaboradores de Arbitragem” que o pretenderem, poderão candidatar-se a integrar o Quadro de Juízes Oficiais, através da frequência da Fase Final de Formação de um Curso de Árbitros e Oficiais de Mesa Estagiários e Jovens Estagiários.
10. Para efeitos do consignado no número anterior terão que ser sujeitos, enquanto “Colaboradores de Arbitragem”, aos regulamentos e procedimentos da Fase de Formação em exercício dos Cursos Oficiais de Arbitragem.
11. A candidatura referida em 9. materializar-se-á pelo envio à E.N.B., através da Comissão Coordenadora Regional de Formação de Juízes, de um “Processo Individual” que respeite integralmente o “Processo Individual do Candidato” à Fase Final de Formação, sendo que tal pressupõe ter sido levado a cabo o processo de acompanhamento regulamentado nos cursos.
12. Os “Colaboradores de Arbitragem” que não pretendam apresentar a candidatura referida em 9. poderão manter-se naquela qualidade nas épocas seguintes, desde que em cada uma delas prestem a sua colaboração efectiva, com informação global positiva por parte do C.A.D. da A.B.L., e venham a participar em sessões de formação e/ou de reciclagem, consideradas indispensáveis.
13. Os “Colaboradores de Arbitragem” terão que possuir atestado médico, nas mesmas condições exigidas aos Juízes Oficiais.
14. Os “Colaboradores de Arbitragem” estarão sujeitos ao Regulamento de Disciplina da F.P.B./A.B.L.. ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DE LISBOA FUNDADA EM 10 DE OUTUBRO DE 1927 - ASSOCIAÇÃO DISTRITAL - 2
15. A AB Lisboa apresentará, em Assembleia Geral regulamentação especifica e interna, incluída nas Normas Administrativas, englobando a forma de compensar os Clubes aderentes e o apoio a prestar aos (às) colaboradores na Fase Final do curso caso pretendam prosseguir a carreira de juiz.
16. Os colaboradores poderão ser atletas ou sócios do Clube e só actuarão nos jogos em “casa” nas condições regulamentadas.
17. Os Clubes interessados manifestarão a sua adesão e indicarão os colaboradores em impresso próprio que anexamos.

A Direcção
ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DE LISBOA